1977

Desde a sua inauguração, nos finais do séc. XVIII, o Hospital pertenceu à Santa Casa da Misericórdia do Porto e, assim, à cidade. Durante duzentos anos foram, na prática, os cidadãos do Porto que se “responsabilizaram” pelo bom funcionamento e desenvolvimento do Hospital.

Mas a solidariedade caritativa deu lugar a uma segurança ou previdência social da responsabilidade do Estado já em 1968, quando o HGSA passou a ser Hospital Central, com leis e financiamento vindo do Estado. Em 1975, com a Nova Constituição da República, a saúde passou a ser considerada um direito e, aquando do incêndio da ala Norte do velho Hospital em 1976 já “ninguém” do Porto era responsável por ele.

Dr. Luís Roseira

Valeu-nos ser Secretário de Estado um “Homem” do Porto e do Hospital: o Dr. Paulo Mendo. Também outro acaso fez com que aparecesse um benfeitor anónimo que quis contribuir para a rápida reconstrução do Hospital. Era necessário criar algo que oficialmente pudesse tornar legais todas as ofertas, todas as ajudas ao Hospital. Por iniciativa de vários e do Dr. Luís Roseira, então Anestesista do Hospital mas com um passado notável de Humanista e de “ajuda desinteressada” pelos doentes, é fundada a Liga em 1977, com escritura publicada no DR em 1 de Julho. Muitos do Hospital e fora dele se juntaram neste projeto, que tornava possível que “outra vez” a Comunidade pudesse ajudar o Hospital naquilo que não fosse da responsabilidade do Estado ou em que o Estado não se sentisse responsável. A ligação entre a cidade e o seu Hospital estava agora refeita através da LIGA.

Obviamente os primeiros tempos não foram fáceis e depressa o primeiro Presidente (Dr. Helder Martins Leitão – Advogado) se demite. Mas depressa o Dr. Luís Roseira (1) o substitui e começa a organizar um amplo conjunto de serviços de apoio aos doentes.

1981

O núcleo inicial de 6 Voluntárias já é de 31 em 1981. Chegam então a ter que solucionar os problemas dos doentes crónicos e a sua transferência para lares, pois que até 1985 não havia um verdadeiro Serviço Social no Hospital e eram as VOLUNTÁRIAS os “anjos da guarda ” de muitos e muitos doentes. Entretanto começa a haver mais e mais “benfeitores” – sócios, empresas, Câmara Municipal, Governo Civil do Porto – que se associam a todo este movimento de solidariedade e inicia-se a angariação de fundos através do Peditório anual pela cidade, em 3 dias da Semana dedicada à LIGA.

Dr. Rocha Melo

Aos 10 anos da LIGA houve eleições e a Presidência passou ser do Dr. Rocha e Melo (2), assessorado pelo Dr. Albino Aroso e pela Dr.ª Irene Oliveira (Economista), além de muitos outros Membros da Direção, do Conselho Fiscal e da Assembleia Geral. Fez-se a consolidação de todo o trabalho anterior e a LIGA comprou e instalou muito equipamento em vários Serviços do Hospital. Foi em 1988 que, através da Liga e do seu ex-Presidente do Conselho Fiscal, Dr. Artur Santos Silva, o BPI disponibilizou verbas para a instalação de um bloco cirúrgico.

1987

Em 1987 já há 150 voluntárias que mantêm: “…um Serviço de Balcão/Atendimento e informação; um grupo de apoio na Consulta Externa, RX e algumas Especialidades; um Serviço de pequenos-almoços na Consulta de Oncologia; um serviço de visita diária a doentes internados, a distribuição de jornais e revistas, ou de roupas para os necessitados, a comparticipação em medicamentos e próteses, em deslocações, em pernoitas para os familiares dos doentes, a doação de Televisões onde os Serviços do Hospital achassem de utilidade para os doentes, cinema para doentes no salão nobre do Hospital, etc.”

A LIGA foi reconhecida como INSTITUIÇÃO PRIVADA DE SOLIDARIEDADE SOCIAL (IPSS) em 5 de Julho de 1989, ainda sob a Direção do Dr. Luís Roseira, que em todos estes anos criou uma estrutura exemplar em defesa do VOLUNTARIADO SOCIAL nos Hospitais.

1993

De 1993 a 1998 a Direção da LAHSA volta a estar a cargo do Dr. Luís Roseira, do Dr. A Strecht Ribeiro (Vice-Presidente) e do Enf Bento Ferreira (1º Secretário) e o Voluntariado foi aumentando para cerca de 300, a rede de som e de televisão generalizou-se, a presença das VOLUNTÁRIAS passou a fazer parte do universo hospitalar.

Foi em 1994 que a Empresa Soares da Costa, com base em projeto do Arq. Carlos Loureiro, reconstruiu, na área do ex-CICAP e em zona cedida pela Direção do Hospital, as instalações para a Direção da LAHSA e para os seus Serviços Administrativos. A Empresa FAGO encarregou-se de a mobilar e assim foram criadas condições condignas para um adequado funcionamento da LIGA.

Em 2 de Outubro do ano de 1998, sua Exª. o Sr. Presidente da República, Dr. Jorge Sampaio, agraciou a Liga dos Amigos do Hospital de Santo António com o título de Membro Honorário da Ordem de Mérito.

1999

Em 1999 o Dr. Paulo Mendo (3) passou a ocupar a Presidência da Direção da Liga dos Amigos do Hospital de Santo António, tendo como membros da sua Direção individualidades extremamente dedicadas a esta causa: Drª. Irene Oliveira (Vice-Presidente), D.Maria Helena Magalhães Carneiro (1º Secretário), Dr.ª M Teresa Salvador Macedo Pinto (2º Secretário), D. Maria Catarina Barbosa (Tesoureiro), com os seus Vogais, Suplentes, Conselho Fiscal e Mesa da Assembleia Geral, que nos abstemos de inumerar, e em 2003, no seu 2º mandato o Dr. Paulo Mendo afirma categoricamente que nos 25 anos já passados “A Liga tem contribuído decisivamente para uma acentuada melhoria da qualidade do atendimento do doente”.

Dr. Paulo Mendo

Em 1999 os objetivos eram o da melhoria das condições de trabalho do corpo do Voluntariado e o de melhorar o apoio da Liga aos Serviços instalados no novo pavilhão (Edíficio Dr. Luís de Carvalho). Assim, o Hospital reaproveitou as instalações da antiga consulta de Cardiologia, no sub-solo da ala Norte, tendo-a recuperado totalmente. O BPA – hoje Millenium/BCP – mobilou toda esta área. O segundo objetivo foi alcançado com distribuição de pequenos almoços nas salas de espera da Consulta de Ortopedia e nas novas instalações do ambulatório de Oncologia. Iniciou-se também o apoio regular ao Serviço de Fisiatria, então sediado no Hospital Conde Ferreira. Foi neste ano que a Liga passou a ter um endereço na Internet: lahsa@mail.telepac.pt, que ainda hoje também se mantém.

Os anos seguintes foram principalmente dedicados à consolidação de todo o trabalho da Liga – incluindo o da angariação de fundos – e à FORMAÇÃO (2 cursos por ano), a reuniões para avaliação do trabalho de cada grupo e para a programação mensal. Em 2000 o corpo de voluntariado era constituído por 210 VOLUNTÁRIAS/OS e 40 ESTAGIÁRIOS. Em 2001 passou a ter 300 VOLUNTÁRIOS/AS. Coincidindo com as comemorações do Ano Internacional do Voluntariado foi desenvolvida uma intensa atividade de expansão, com troca de experiências e conhecimentos entre instituições de voluntários.

2005

Em 2005, após eleições, a Direção mantém-se e somente o Presidente Dr. Paulo Mendo (que passa a Presidente da Assembleia Geral) é substituído pelo Dr. Benvindo Justiça (4). Todas as rotinas são continuadas, procuram-se receitas através de algumas iniciativas, faz-se um “site” da LAHSA (www.lahsa.pt ) que a breve prazo se torna útil para inscrição de sócios, de candidatos a voluntárias e para conhecimento das atividades da LAHSA. O Hospital entretanto disponibiliza novas instalações para o VOLUNTARIADO (3º andar do Edifício clássico) e finalmente a LIGA é auditada para o processo de REACREDITAÇÃO DO HOSPITAL recebendo os maiores elogios por tudo quanto o nosso VOLUNTARIADO tem feito em relação à HUMANIZAÇÃO dos doentes do nosso Hospital (Janeiro 2007).

Dr. Benvindo Justica

Em Janeiro de 2008 a Direção da LAHSA é praticamente reeleita na sua totalidade, entrando para a Direção o Dr. Carlos Alberto Silva (Administrador do Centro Hospitalar do Porto, EPE ), a D Manuela Soeiro e o Dr. José Neto, VOLUNTÁRIOS extremamente interessados, competentes e conhecedores da missão do VOLUNTARIADO NO HGSA.

Em 2011 nova Direção é escolhida e votada, com pequenas alterações nos seus órgãos. Todavia as dificuldades aumentaram tanto por mudança dos órgãos de Direção do Hospital, como na drástica diminuição de sócios e de donativos de mecenas, como por dificuldades que foram criadas internamente, o que dificultou grandemente a nossa ajuda aos doentes do Hospital. Acabamos os 3 anos com algum défice, mas não temos dúvida de que a população do Porto – no peditórios anual que fazemos em Maio e na venda de Natal em Dezembro – sabe a utilidade deste VOLUNTARIADO NO HOSPITAL DE SANTO ANTÓNIO e continua a ajudar esta LIGA, não quebrando a sua ajuda diária.

2014

Em Março de 2014, foi eleita a atual direção com entrada de novos elementos, procurando-se a sempre necessária renovação dos orgãos diretivos. Assim, tomou posse como Presidente o Sr. Dr. Manuel Campos (5), fazendo também parte desta direção as voluntárias: Dr.ª Isabel Gonçalves; Dr.ª Lídia Esteves e a Dr.ª Mafalda Macedo Pinto.

Dr. Manuel Campos

(1) Dr. Luís Roseira, então Médico do Serviço de Anestesia do HGSA.
(2) Dr. Rocha e Melo, ex-Diretor do Serviço de Neurocirurgia do HGSA.
(3) Dr. Paulo Mendo, ex-Diretor do Serviço de Neuroradiologia, ex-Ministro da Saúde, ex-Diretor do HGSA.
(4) Dr. Benvindo Justiça, ex-Diretor do Serviço de Hematologia Clínica do HGSA.
(5) Dr. Manuel Campos, Diretor Adjunto do Serviço de Hematologia Clínica.