Tenho pensado, muitas vezes, no trabalho dos voluntários de todo o Mundo, no que os move, no que leva algumas pessoas a entregarem-se a uma atividade não remunerada, numa sociedade cada vez mais materialista e isolada, frequentemente exposta a situações de catástrofe, de epidemias, de guerra, onde o sofrimento humano é levado ao limite do suportável.

José Seabra

Voluntário, Hospital de Santo António